O ícone miraculoso da Mãe de Deus de Mariupol

O ícone de Mariupol (de Bakhchisaray) da Mãe de Deus, segundo a lenda, apareceu na Crimeia, perto da cidade de Bakhchisaray. Para além do nome mencionado, o ícone também tinha outro nome, nomeadamente: Panagia, o ícone da Crimeia da Mãe de Deus. Anteriormente, este ícone encontrava-se no skete (do grego σκήτες, skete) da Assunção, que estava situado no desfiladeiro da montanha nos arredores da cidade de Bakhchisaray.                 

Segundo a lenda, o ícone apareceu perto de Bakhchisaray, na Crimeia, como resposta às orações dos habitantes à Mãe de Deus pela libertação da serpente que devorava pessoas e animais. Um dia, os habitantes viram uma vela acesa num lugar onde era impossível subir porque a montanha era íngreme, por isso esculpiram degraus na pedra, subiram até onde a vela estava acesa e encontraram a imagem da Santa Mãe de Deus com uma vela acesa à Sua frente. Nas proximidades, foi encontrada uma serpente derrotada e aos pedaços.                         

Sucessivamente, os gregos, e sobretudo os genoveses, que viviam em Teodósia, começaram a visitar este lugar para adorarem o ícone sagrado da Virgem. O ícone de Bakhchisaray era venerado por cristãos, gregos e genoveses, e por tártaros muçulmanos. Muitas vezes, após campanhas bem sucedidas, até os cãs da Crimeia fizeram ofertas ao ícone. O ícone de Mariupol (Bakhchisaray) pertencia aos ícones de mástique de cera, que testemunham a sua antiguidade e origem bizantina. De acordo com várias opiniões, a época da sua criação varia entre o século XI e o século XIV.          

A localização do ícone mariano na Igreja da Mãe de Deus em Mariupol tem sido documentada desde o século XVII. Foram criadas diversas vestes para decorar o ícone. Uma delas, feita na Crimeia, tinha uma inscrição em grego: «Δεήσις πάντων τών ευσεβών χριστιάνων σια σια ώνδραμινς καὶ επιστασος χώρα έν έν χώρα χώρα Μαριεν κατα κονντων 1774 απριλιον 20» («A oração de todos os piedosos cristãos, com a ajuda e o zelo dos habitantes da cidade de Maria, em 20 de Abril de 1774»). Posteriormente, esta veste (ryza) adornou a cópia do ícone. A veste do ícone estava adornada com pedras preciosas, diamantes e pérolas.          

Segundo outros dados, em 1778, durante os tempos do último Metropolita de Gotfey-Kefai, Santo Inácio Gozadinov (Γεζεδινος), os gregos da Crimeia foram exilados pela czarina e mudaram o ícone para a nova cidade de Mariupol, onde se encontrava, desde 1780, numa igreja de madeira, especialmente construída para o efeito, em honra da Dormição da Mãe de Deus.     

Em 1848, o ícone da Mãe de Deus de Mariupol (Bakhchisaray) tornou-se famoso pelos seus milagres durante a epidemia de cólera. Em 1887, o ícone foi transferido para a Igreja de pedra da Dormição, onde foi colocado numa custódia feita expressamente para o ícone no lado esquerdo do altar. Mas a protecção de Nossa Senhora permanecia no local da aparição do ícone. Graças aos esforços do Arcebispo de Kherson, Inocêncio, a reconstrução do Mosteiro de Bakhcysaray foi concluída em 1850. A 15 de Agosto, dia da Assunção e da reabertura do complexo monástico, as pessoas iam lá para honrar a cópia do ícone miraculoso da Mãe de Deus.

Em 1936, a igreja foi destruída pelas autoridades soviéticas e foi construída uma escola no local. O ícone desapareceu e a sua localização é desconhecida até agora. Hoje, apenas cópias deste ícone permanecem em Mariupol, na Catedral de São Nicolau e na Igreja de Cheryomushki.

Através de Corrispondenza Romana

Enviar um comentário

0 Comentários