A mensagem da «bela Senhora» de La Salette

Numa zona montanhosa do Sudeste da França, «uma bela Senhora» apareceu a dois jovens pastores chamados Mélanie Calvat, de 15 anos de idade, e Maximino Giraud, de 11 anos de idade, em Setembro de 1846.

O nome «bela Senhora» é a descrição que fez o jovem pastor para se referir à Virgem quando lhes apareceu. Os pastores encontraram a Senhora sentada, a chorar e com as mãos na cabeça. Levantando-se, a Senhora dirigiu-se aos pastores na sua língua, o francês, e fez-lhes ver dois grandes pecados que estavam na ordem do dia e explicou-lhes que «a mão do Seu Filho era tão forte e pesada que já não a podia suster, a menos que as pessoas fizessem penitência e obedecessem às leis de Deus». Por um lado, explicou-lhes que chorava pela impiedade de grande parte da sociedade e instou-os a renunciar a dois pecados graves que se tinham tornado muito comuns: a blasfémia, jurar continuamente usando Deus como testemunha, e não tomar o domingo como dia de descanso e de assistência à Missa. A Virgem previu grandes fomes e perdas nas colheitas, que se cumpriram em toda a França.          

Num primeiro momento, a Senhora comunica a cada jovem, em separado, um segredo que não deveriam revelar a ninguém, excepto ao Santo Padre, num pedido especial que ele próprio lhes faria. «Fazeis bem a vossa oração, meus filhos?», perguntou a Senhora aos pastores, que responderam «não muito bem, Senhora». «Há que fazê-la bem, à noite e de manhã. Quando não puderdes mais, rezai, pelo menos, um Pai-Nosso e uma Ave-Maria, mas quando puderdes, rezai mais», disse Nossa Senhora aos pastores.

Através de InfoVaticana

Enviar um comentário

0 Comentários