A Basílica de São Pedro, em Roma, afasta os peregrinos por usarem o tipo errado de máscara

A Basílica de São Pedro, em Roma, recusa-se a deixar os peregrinos entrar para assistir à Missa porque estão a usar o tipo errado de máscara facial.

Na segunda-feira de manhã, os peregrinos que procuravam assistir a uma Missa marcada para o seu grupo privado foram afastados porque as máscaras faciais que usavam não eram as máscaras específicas FFP2 (semelhantes às máscaras N95) estipuladas pelo Governo italiano. A nova aplicação vem na medida em que a Cidade do Vaticano, que é o seu próprio país independente, segue um endurecimento das regras do COVID pelo Governo italiano, exigindo máscaras FFP2 em todos os espaços públicos, interiores e exteriores, em Itália. A Cidade do Vaticano, embora não esteja sujeita à lei italiana, decidiu aplicar as mesmas regras neste caso.

O Código de Direito Canónico, o corpo legislativo interno da Igreja, proíbe estritamente a recusa de admissão aos sacramentos se os fiéis estiverem devidamente dispostos. O Código declara (cân. 843) que «os ministros sagrados não podem negar os sacramentos àqueles que oportunamente os pedirem, se estiverem devidamente dispostos e pelo direito não se encontrarem impedidos de os receber». Em particular, tais fiéis têm um direito, derivado do Baptismo, à admissão ao sacramento da Eucaristia que não pode ser posto de lado por razões triviais que não estejam relacionadas com o sacramento.

De acordo com o cân. 912, «qualquer baptizado, que não esteja proibido pelo direito, pode e deve ser admitido à sagrada comunhão», e o cân. 214 confirma que «os fiéis têm o direito de acesso para exercerem, sobretudo publicamente, o culto divino».

A recusa da admissão à Missa exclui os fiéis cristãos tanto do culto a Deus, segundo as prescrições do seu próprio rito, como da recepção da Sagrada Comunhão. Quanto ao acesso aberto às igrejas, a lei canónica (cân. 1221) estipula que «seja livre e gratuita a entrada na igreja». A entrada condicionada sobre um tipo específico de máscara facial é contrária a tal acesso aberto.

O Governo italiano também tentou impor o “Green Pass” aos que desejam assistir aos cultos religiosos, com a excepção de assistir à Missa. Até agora, isto ainda não foi imposto na cidade de Roma. Estudos médicos mostram que as máscaras são ineficazes para reduzir a propagação do COVID-19, incluindo a popular máscara FFP2. Estudos mostram também que as máscaras podem causar danos físicos e psicológicos, reduzindo o consumo de oxigénio e aumentando o medo e a ansiedade social.  

Adaptado de LifeSiteNews

Enviar um comentário

1 Comentários

  1. "A Basílica de São Pedro, em Roma, afasta os peregrinos por usarem o tipo errado de máscara"

    "Estudos médicos mostram que as máscaras são ineficazes para reduzir a propagação do COVID-19, incluindo a popular máscara FFP2.

    Estudos mostram também que as máscaras causam danos físicos e psicológicos, reduzindo o consumo de oxigénio e aumentando o medo e a ansiedade social".

    Naquilo que devia ser a casa de Deus, passou a ser o antro da meretriz, do dragão, dos ídolos e de todas as obscenidades possíveis.

    A Rainha do Céu da Virtude, expulsará o monstro infernal da meretriz da apostasia.
    A Rainha do Céu da Virtude da Religião, expulsará o dragão infernal da impiedade.

    Como lhe chamaremos?
    Vergonhas?
    Escândalos?
    Escolhei vós.

    o reino de satanás no seu auge com as mentiras, fraudes, traições, apostasias, sodomias, etc., etc.,

    é impressionante, a dimensão da tragédia é maior que alguma vez se pode supor.
    Cada dia que passa, é mais fundo o poço da iniquidade.

    Deus e toda a Santidade foi expulsa da Sua Casa.

    Meu Deus, meu Deus,
    Vinde depressa em Nosso Auxílio.
    Santa Madre de Deus
    Auxilium Christianorum,

    ResponderEliminar

«Tudo me é permitido, mas nem tudo é conveniente» (cf. 1Cor 6, 12).
Para esclarecimentos e comentários privados, queira escrever-nos para: info@diesirae.pt.