Sacerdote italiano censurado escreve carta aberta

Depois da sua participação, a 19 de Outubro, numa manifestação, em Trieste, contra a imposição do green pass, o P. Floriano Pellegrini, da Diocese de Belluno-Feltre, na Itália, sacerdote há mais de seis décadas, foi censurado, no passado domingo, na própria folha dos avisos semanais das paróquias em que está inserido. Não tardando, o P. Pellegrini escreveu uma resposta, que se disponibiliza em português para que não passe despercebida a acção deste sacerdote de Cristo.


+


Hoje, domingo, 31 de Outubro de 2021, na folha dos avisos semanais das oito paróquias de Val di Zoldo e Zoppè di Cadore, os fiéis já não viram indicado o meu nome, juntamente com os dos outros sacerdotes presentes no vale. Algumas pessoas telefonaram-me para saber se, como o P. Gianfranco Slongo, que, na semana passada, se retirou do seu ministério no vale (para ir para o moderno santuário mariano de Nevegàl), também eu me tinha retirado do ministério.          

Garanto que não me retirei de todo! O novo arcipreste da Paróquia de Zoldo, P. Roberto de Nardin (que chegou apenas na sexta-feira à noite), terá, portanto, o prazer de explicar, a vós e a mim, se se tratou de um erro seu, por muito desagradável que tenha sido, ou de uma escolha da sua parte, ou, finalmente, da execução de uma ordem do bispo diocesano.   

Se se tratou de um erro seu, será fraternalmente perdoado.         

Se foi uma escolha sua, recordo claramente ao P. Roberto que, se acredita ter vindo à casa de outros, ou seja, a um vale e a uma comunidade cristã da qual é um ilustre desconhecido e com a qual tem apenas uma ligação jurídica, para ser prepotente em vez de vir com humildade e espírito de serviço, é melhor que faça as malas e parta imediatamente.           

Se se tratou, da sua parte, da execução de uma ordem ou de um desejo do bispo diocesano, recordo a Sua Excelência que se também pensa que pode marginalizar aqueles que não lhe convêm, está muito enganado, e tornar-se-ia ridículo o seu falar de Igreja sinodal (ou seja, onde todos caminham juntos, mesmo com sensibilidades e visões diferentes) quando, de facto, quer caminhar apenas com aqueles que pensam como ele e dos outros quer que se elimine o nome e o número de telefone das folhas da comunidade, quase para sepultá-los (social e eclesiasticamente) enquanto ainda estão vivos.        

Caros fiéis, é muito mau que um sacerdote apenas chegado a um vale cometa erros e assuma comportamentos semelhantes; mas asseguro-vos, pela minha honra de sacerdote e de homem, que, digam e façam o que quiserem, não os deixarei dormir tranquilamente até ser remediado o erro.   

P. Floriano Pellegrini

Enviar um comentário

1 Comentários

  1. “Sacerdote italiano censurado escreve carta aberta”

    “Caros fiéis, é muito mau que um sacerdote apenas chegado a um vale cometa erros e assuma comportamentos semelhantes; mas asseguro-vos, pela minha honra de sacerdote e de homem, que, digam e façam o que quiserem, não os deixarei dormir tranquilamente até ser remediado o erro”.


    Apoiado, é muito mau que nos deixemos de defender quando se comentem graves erros porque nos querem impor mordaças ou que participemos dos pecados hediondos que se estão a cometer na Santa Igreja, e ainda por cima por clérigos.
    Temos que nos defender, e ir atrás de quem promove este tipo de atrocidades, é uma questão de justiça.

    Que seria de nós se não se tivessem organizado e formado exércitos que se levantaram contra quem nos queria invadir, e destruir além das nossas vidas, cultura e religião.

    Heróis do mar, Nobre Povo, Nações Valentes e Imortais, levantai-vos de novo com o Estandarte da Cruz, bem levantado e marchemos contra estes tiranos que nos querem impor mordaças, Vacinas assassinas, roubar a Deus, destruir a Nossas Vidas, e bens, impor-nos Agendas Criminosas.

    Roubar a Vida das Nossos Jovens e Crianças, com Leis Iníquas.

    NÃO, a estas tiranias, vamos lutar…..

    VIVA Cristo Rei,
    Marchemos Com a Cruz de Cristo bem alta.

    ResponderEliminar

«Tudo me é permitido, mas nem tudo é conveniente» (cf. 1Cor 6, 12).
Para esclarecimentos e comentários privados, queira escrever-nos para: info@diesirae.pt.