El Salvador rejeita esmagadoramente o aborto

A Assembleia Legislativa de El Salvador rejeitou, por maioria esmagadora, uma reforma que procurava despenalizar o aborto. A iniciativa pró-aborto obteve apenas um voto a favor. A Constituição da nação centro-americana protege a vida humana desde o instante da sua concepção.   

Com 76 votos a favor, um contra e 2 abstenções, a maioria do plenário do órgão legislativo manifestou o seu repúdio a uma iniciativa que pretendia reformar o artigo 133 do Código Penal, que actualmente estabelece penas de 2 a 8 anos de prisão para quem realize um aborto. A proposta contemplava a despenalização em caso de inviabilidade do feto e de violação.

Esta era a quarta iniciativa parlamentar que, sem êxito algum, procurava abrir uma fissura numa das leis mais garantistas do direito à vida no cenário internacional. A Constituição de El Salvador reconhece «como pessoa humana todo o ser humano desde o instante da concepção».          

De facto, o atual presidente da nação salvadorenha, Nayib Bukele, assegurou, recentemente, que não admitirá nenhuma mudança na Constituição que dê lugar à legalização do aborto, da eutanásia e do casamento homossexual. 

Através de InfoCatólica

Enviar um comentário

2 Comentários

  1. "El Salvador rejeita esmagadoramente o aborto"

    Que a Nação Salvadorenha, mantenha intacto o Património de Cristo, que Deus os abênçoe, cubra de Graças as necessidades da Nação, espirituais materiais, fortes e persistentes.

    E que Não se deixem contaminar pelos abortistas, globalistas, comunistas, porque aonde eles se instalam é pobreza, fome miséria e guerra.

    E no fim a condenação eterna.


    Paz e bem



    ResponderEliminar

«Tudo me é permitido, mas nem tudo é conveniente» (cf. 1Cor 6, 12).
Para esclarecimentos e comentários privados, queira escrever-nos para: info@diesirae.pt.