«O problema da igreja conciliar reside em ter feito suas as exigências revolucionárias», aponta Viganò

A iniciativa “The Viganò Tapes” consiste em dezoito pequenos vídeos que se traduzem em outras tantas perguntas dirigidas ao Arcebispo Carlo Maria Viganò, antigo Núncio Apostólico em Washington, sobre a situação actual da Igreja e do mundo. O portal Dies Iræ disponibiliza, em língua portuguesa, o texto da décima segunda pergunta-resposta.                 

+


12. Em que é que, Excelência, a igreja conciliar se diferencia da Igreja Católica?          

O problema da igreja conciliar reside em ter feito suas as exigências revolucionárias, negando a Realeza de Cristo e transferindo – pelo menos em palavras – a soberania ao povo, ao qual a elite clerical fez acreditar que podia escolher quais verdades rejeitar e quais novos dogmas inventar. E saliento que, exactamente como aconteceu na coisa pública, também em âmbito eclesial, o poder foi usurpado por novas entidades com finalidades opostas àquelas para as quais a autoridade é constituída; e sempre considerando o povo como uma massa a ser manipulada e subjugada. As formas como a reforma litúrgica foi imposta não são diferentes daquelas com que, hoje, nos é imposto o green pass: sempre para o nosso bem, sempre porque há quem decide por nós, contando-nos sempre mentiras para esconder as verdadeiras intenções.          

Se o bem das almas fosse o propósito deles, eles teriam que se arrepender desde o início, olhando com horror para o desastre ocorrido. Mas se o propósito é o próprio desastre, compreende-se o ódio e a aversão a tudo o que tenta limitá-lo e reparar os danos. Nesta óptica, perseverare diabolicum. E vale tanto para a obstinação sobre o Concílio quanto para aquela sobe a farsa pandémica.                  

O vídeo do décimo segundo episódio foi censurado pelo YouTube e encontra-se disponível aqui.   

Enviar um comentário

0 Comentários