Apelo contra a tentativa de destruição do Matrimónio por parte do caminho sinodal alemão

Novas adesões devem ser enviadas para christusvincit2021@protonmail.com.

Novas adesões devem ser enviadas para christusvincit2021@protonmail.com.
A lista de subscritores foi actualizada a 5 de Maio de 2021.



+

5 de Maio de 2021
S. Pii V, Papæ et Conf.

1. O caminho sinodal alemão, apresentado em 2019, tem-se constituído, ao longo destes dois anos, um terreno fértil para a planificação e a consequente massificação de ideias e teorias claramente contrárias ao Magistério imutável e contínuo da Santa Igreja Católica, fundada pelo Divino Salvador sobre a rocha firme dos Apóstolos (Mt 16, 18). Entre os erros difundidos, constam o ataque declarado ao Sacerdócio, tanto por meio da tentativa de abolição do celibato eclesiástico quanto pela imposição da ordenação de mulheres, e ao Matrimónio, concretamente querendo atacar a união indissolúvel entre um homem e uma mulher, e impondo e equiparando as uniões sodomitas àquele amor que Nosso Senhor Jesus Cristo elevou a sacramento.

2. A esse respeito, o Catecismo da Igreja Católica apresenta «o pacto matrimonial, pelo qual o homem e a mulher constituem entre si a comunhão íntima de toda a vida, ordenado pela sua índole natural ao bem dos cônjuges e à procriação e educação da prole»[1].     

3. Pelo contrário, o clero alemão, a começar pela hierarquia, salvo raras excepções, afastando-se escandalosamente do ensinamento constante da Igreja, sugere, entre outras coisas, a demolição do Matrimónio, tendo sido convocado, para 10 de Maio, um dia de “bênção” para todos os apaixonados, incluindo, como seria de esperar, as parelhas homossexuais, em claro desrespeito do responsum da Congregação para a Doutrina da Fé, de 22 de Fevereiro de 2021, a um dubium sobre a bênção de uniões de pessoas do mesmo sexo. No documento vaticano, tornado público em várias línguas, lê-se que «não é lícito conceder uma bênção a relações, ou mesmo a parcerias estáveis, que implicam uma prática sexual fora do matrimónio (ou seja, fora da união indissolúvel de um homem e uma mulher, aberta por si à transmissão da vida), como é o caso das uniões entre pessoas do mesmo sexo»[2], sendo reiterado que «a Igreja (…) não abençoa nem pode abençoar o pecado»[3]. Segundo consta, são já mais de 2.500 os sacerdotes, diáconos e demais agentes pastorais associados a esta iniciativa, o que demonstra uma manifesta aversão à Tradição da Igreja e às normas por ela estipuladas.        

4. Segundo o Código de Direito Canónico, o cisma é «a recusa da sujeição ao Sumo Pontífice ou da comunhão com os membros da Igreja que lhe estão sujeitos»[4], incorrendo, desta forma, em excomunhão latæ sententiæ todo aquele que o promover. Tudo leva a crer que o caminho sinodal alemão, a cada dia, tende a converter-se num passo para o cisma e a heresia declarada.  

5. Preocupados com esta lastimável situação, nós, Pastores da Igreja Católica e fiéis leigos empenhados na defesa da Verdade da Fé, apelamos ao Santo Padre que tome as devidas medidas para terminar com o caminho sinodal alemão e, se necessário, aplicar as respectivas sanções canónicas aos impulsionadores deste tremendo desvio doutrinal e de comunhão com as Chaves de Pedro.      

6. Por outro lado, convocamos, para o mesmo dia 10 de Maio, uma jornada internacional de oração e de reparação por todas as ofensas e sacrilégios cometidos pelos Pastores desviados da Igreja alemã, apelando a que seja recitada, em público ou em privado, a ladainha do Sagrado Coração de Jesus e, sempre que possível, que seja oferecida a Santa Missa pro remissione peccatorum e a Comunhão reparadora.          

PRELADOS     

1. Cardeal Joseph Zen, Bispo emérito de Hong Kong          
2. D. Athanasius Schneider, Bispo Auxiliar de Astana, Cazaquistão            
3. D. Marian Eleganti, OSB, Bispo Auxiliar emérito de Coira, Suíça         

SACERDOTES

4. P. Miguel Coelho, Arquidiocese de Évora, Portugal                    
5. P. José Andrade, Arquidiocese de Braga, Portugal                      
6. P. Duarte Sousa Lara, Diocese de Lamego, Portugal                   
7. P. Manuel Vaz Patto, Diocese de Coimbra, Portugal                   
8. P. Hélder Ruivo, Diocese de Aveiro, Portugal                  
9. P. Armin Maria Kümin, Ordem da Santa Cruz, Portugal              
10. P. Manuel de Pina Pedro, Diocese de Leiria-Fátima, Portugal              
11. P. Gerald E. Murray, Arquidiocese de Nova Iorque, EUA          
12. P. Tiago Ribeiro e Pinto, Diocese de Setúbal, Portugal  
13. P. Samuele Cecotti, Osservatorio Van Thuan sulla Dottrina Sociale della Chiesa, Diocese de Trieste, Itália  
14. P. António Alexandre de Oliveira, Diocese de Campo Limpo, Brasil    
15. P. Alfredo Maria Morselli, Arquidiocese de Bolonha, Itália      

ADVOGADOS

16. Ives Gandra da Silva Martins, Advogado, São Paulo, Brasil      
17. Miguel da Costa Carvalho Vidigal, Advogado, São Paulo, Brasil
18. Luís Filipe Esquível Freire de Andrade, Advogado, Coimbra, Portugal 
19. Carlos Vitor Santos Valiense, Advogado, Bahia, Brasil  

JORNALISTAS E EDITORES    

20. Marco Tosatti, Jornalista, Roma, Itália  
21. Fabio Scaffardi, Jornalista, Florença, Itália        
22. Jeanne Smits, Jornalista, França             
23. Eugene Rosenblum, Editor-Chefe de Trailway, Rússia  
24. António Carlos de Azeredo, Editor, Porto, Portugal      
25. José Barbosa Soares, Conselheiro Editorial, Porto, Portugal    

PROFISSIONAIS DE SAÚDE   

26. Teresa Kaufeler, Médica Psiquiatra, Österreich, Áustria           
27. Joana Luísa Nigra de Castro e Sousa de Noronha, Médica, Lisboa, Portugal
28. Nelson Machado da Silva Lima, Médico Neurocirurgião, Belém do Pará, Brasil
29. Maria Cabral Martins, Enfermeira, Mestre em Saúde Mental e Psiquiátrica pela Escola Superior de Enfermagem do Porto, Porto, Portugal                   
30. Elzbieta Agnieszka, Enfermeira, Roma, Itália           

PROFESSORES E PROFISSIONAIS     

31. Armando Alexandre dos Santos, Professor Universitário, Licenciado em História e em Filosofia, Doutor pela Universidad de Alicante, Piracicaba, Brasil
32. Michael Hesemann, Historiador e autor, Neuss, Alemanha                
33. Stanislaw Strutynski, Presidente da Una Voce Rússia, Rússia   
34. Elena Mancini, Docente, Linz, Áustria    
35. Ricardo Luiz Silveira da Costa, Professor Universitário, Rio de Janeiro, Brasil 
36. Ibsen José Casas Noronha, Professor Universitário, Coimbra, Portugal
37. Pedro Affonseca, Presidente do Centro Dom Bosco e licenciado em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
38. Álvaro Mendes, Vice-Presidente do Centro Dom Bosco e Doutorado em Economia pela Universidade Federal de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Brasil       
39. Bruno Mendes, Director-Geral do Centro Dom Bosco, Doutorado em Administração pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil      
40. Giuseppe Sorrentino, Professor de Matemática aposentado, Avezzano, Itália
41. Eduardo Almeida, Licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Porto, Portugal         
42. João Augusto Lobato Rodrigues, Economista, Mestre em Desenvolvimento Regional e Doutorando em Gestão Social, Belém do Pará, Brasil
43. Alexandra de Almeida Tété, Gestora, Licenciada em Relações Internacionais, Porto, Portugal         
44. Amadeu Fernandes, Engenheiro Mecânico, Viseu, Portugal    
45. Corrado Gnerre, Guia Nacional do C3S, Benevento, Itália                    
46. Diogo de Campos, Tradutor, Viana do Castelo, Portugal          
47. Luís Ferrand d’Almeida, Licenciado em Guia-Intérprete pelo Instituto Superior de Novas Profissões, Viseu, Portugal         
48. Maria da Graça Poças da Cruz Marcelino, Licenciada em História pela Universidade Nova de Lisboa, Viseu, Portugal         
49. Maria do Carmo Olazabal, Engenheira Biomédica, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, Porto, Portugal          
50. Maria Francisca Gomes, Designer Multimédia, Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, Porto, Portugal         
51. Paula Andrea Caluff Rodrigues, Arquitecta, Mestre em Património Cultural e Doutoranda em Comunicação, Linguagem e Cultura, Belém do Pará, Brasil
52. Pedro Sinde, Bibliotecário, Licenciado em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Mirandela, Portugal  
53. Miguel Lançós de Sottomayor, Oficial de Marinha, Lisboa, Portugal   
54. Lara Enge Maggione, Engenheira Agrónoma, Lisboa, Portugal 
55. Nicolau Pinto Coelho, Licenciado em Arquitectura pela Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, Porto, Portugal           
56. Barbara Lambiase, Gráfica, Diplomada no sector dos Media, Munique, Alemanha    
57. Giuseppina Nigro, Aposentada, Roma, Itália                 
58. Giovanna Ruggeri, Dona de casa, Lumezzane, Itália     
59. Alessandra Perfetti, Licenciada em Filosofia pela Università degli Studi di Milano e licenciada em Psicologia Clínica pela Università degli Studi di Torino, Macerata, Itália   
60. Salvador Olazabal, Psicólogo, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto, Porto, Portugal                      
61. Maria José Côrte-Real Freire de Andrade, Psicóloga, Coimbra, Portugal   
62. Enrico Donà, Pai de 4 filhos, Innsbruck, Áustria
63. Elena Martinz, Mãe de 4 filhos, Innsbruck, Áustria       
64. Mauro Reginato, Pai de 2 filhos, Innsbruck, Áustria      
65. Martina Pappagallo, Mãe de 2 filhos, Innsbruck, Áustria          
66. Günther Hofer, Pai de 2 filhos, Innsbruck, Áustria        
67. Federica Sparpaglia, Mãe de 2 filhos, Innsbruck, Áustria          
68. Maurizio Seghieri, Pai de 2 filhos, Montecatini Terme, Pistoia, Itália              
69. Irene Ibellani, Mãe de 2 filhos, Montecatini Terme, Pistoia, Itália       

ESTUDANTES

70. Afonso de Almeida Tété Machado, Estudante de Medicina no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, Porto, Portugal          
71. Francisco José Ferrand d’Almeida, Estudante Universitário, Viseu, Portugal
72. Henrique José Ferrand d’Almeida, Estudante Universitário, Viseu, Portugal
73. Camila Caluff Rodrigues de Lima, Estudante de Direito, Belém do Pará, Brasil



[1] Cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 1601.

[2] Congregação para a Doutrina da Fé, Responsum da Congregação para a Doutrina da Fé a um dubium sobre a bênção de uniões de pessoas do mesmo sexo.

[3] Ibidem.

[4] Cfr. Código de Direito Canónico, cân. 751.

Enviar um comentário

0 Comentários