Dois sacerdotes detidos, em Paris, por cerimónia sem máscaras. A diocese abre um processo contra o pároco

Michel Aupetit, Arcebispo de Paris, anunciou a abertura de um processo canónico contra o Pároco de Sainte-Eugène-Sainte-Cécile, Marc Guelfucci, depois de se terem publicado algumas imagens de uma cerimónia no templo com pessoas sem máscara. Segundo o Le Parisien, dois sacerdotes foram detidos pelo ocorrido.

Segundo as informações de que a diocese teve conhecimento, o sacerdote «não teria feito respeitar, dentro da sua Igreja, as medidas sanitárias em vigor para combater a pandemia de COVID-19», diz o comunicado da diocese parisiense.

O sucedido aconteceu durante a Vigília Pascal do sábado, 3 de Abril. «No entanto, estas medidas foram objecto de instruções claras, regularmente recordadas pela Diocese de Paris, a todas as paróquias», diz o comunicado da arquidiocese.        

«Enquanto se aguarda a conclusão deste procedimento canónico, é-lhe pedido que faça cumprir rigorosamente as medidas sanitárias nesta igreja e que transmita, durante o fim-de-semana, uma comunicação do Arcebispo de Paris à atenção dos paroquianos, para lhes recordar, uma vez mais, as regras que se aplicam a todos», continua o escrito.

“Desde o início da epidemia, não tivemos aglomerações”, assegurou Marc Guelfucci aos jornalistas. Embora reconhecendo que as imagens da cerimónia “poderiam ter causado um impacto em vista do ambiente do momento”. “Usámos gel entre cada baptismo. Conheço a minha igreja, estávamos longe de estar lotados. Poderia haver o dobro de pessoas. Mesmo em tempos de COVID-19”, explicou o sacerdote, segundo o Le Parisien.         

O mesmo órgão de comunicação informou, nesta quinta-feira, que dois sacerdotes que participaram na cerimónia foram postos sob custódia policial acusados ​​de «colocar deliberadamente em perigo a vida de outras pessoas», «não usar máscara» e «reunir mais de seis pessoas sem respeitar a distância de segurança».           

Através de InfoVaticana            

Publicar um comentário

1 Comentários

  1. Quase como há 2000 anos atrás, alcança gravemente o avanço do paganismo na hierarquia religiosa. Que Deus abençoe os dois sacerdotes, agora perseguidos, também pelos seus superiores.

    ResponderEliminar

«Tudo me é permitido, mas nem tudo é conveniente» (cf. 1Cor 6, 12).
Para esclarecimentos e comentários privados, queira escrever-nos para: info@diesirae.pt.