Arcebispo de Kansas City diz que Biden deveria deixar «de se definir um católico devoto»

Por ocasião de uma entrevista a Jim Graves, do portal Catholic World Report, o Arcebispo de Kansas City, Mons. Joseph Fred Naumann, ao falar do tema da Marcha pela Vida e de outras questões relacionadas com a defesa da Vida, abordou os posicionamentos do “católico” Biden. De seguida, o excerto da entrevista em que se refere a Biden. 

O Sr. Biden professa-se um católico devoto, mas é 100% a favor do aborto. Como pensa que os bispos americanos devem responder a esta situação?    

Posso dizer-lhe como este bispo está a responder. O Presidente deveria parar de se definir um católico devoto e reconhecer que a sua visão sobre o aborto é contrária ao ensinamento moral católico. Seria uma abordagem mais honesta da sua parte dizer que não concorda com a sua Igreja sobre esta importante questão e que está a agir contra o ensinamento da Igreja.        

Quando diz ser um católico devoto, nós, bispos, temos a responsabilidade de corrigi-lo. Embora as pessoas tenham dado poder e autoridade a este Presidente, ele não pode definir o que é ser católico e qual é o ensinamento moral católico.

O que ele está a fazer agora é usurpar o papel dos bispos e confundir o povo. Está a declarar ser católico e a preparar-se para forçar as pessoas a apoiarem o aborto com o dinheiro dos impostos. Os bispos devem corrigi-lo, já que o Presidente está a agir de modo contrário à fé católica.                      

O P. Robert Morey, da Igreja de Santo António, em Florence, Carolina do Sul (que se aposentou este ano), recusou-se a dar a Sagrada Comunhão ao então candidato Joe Biden, na Missa de 2019, devido à posição pró-aborto de Biden. O que pensa da acção do P. Morey?          

Penso que tenha agido seguindo a sua consciência. Creio que o Presidente tenha a responsabilidade de não se apresentar à Sagrada Comunhão. Quando os católicos recebem a Eucaristia, estão a reconhecer a Presença Real de Jesus e também a fé nos ensinamentos da Igreja. O Presidente Biden não acredita nos ensinamentos da Igreja sobre a santidade da vida humana e não deve colocar o sacerdote na situação de ter de decidir se lhe permite ou não receber a Eucaristia. Deveria sabê-lo depois de 78 anos como católico.       

Daria a comunhão ao Sr. Biden?     

Não creio que me encontrarei nessa situação; não prevejo que ele venha à Missa em Kansas e se aproxime de mim para receber a comunhão. Acredito que o seu bispo tenha a responsabilidade de dialogar com ele sobre este tema. Aquilo que ele afirma é um mal grave. Não conheço a disposição da sua mente e do seu coração, mas o seu acto de apoiar o aborto legal é errado.

Enviar um comentário

0 Comentários