domingo, 30 de agosto de 2020

Para alcançar a humildade, é necessário aceitar as provações!



Estando Gertrudes a rezar por uma pessoa que tinha proferido palavras de impaciência, perguntando por que razão Deus lhe enviava provações que não eram feitas para ela, o Senhor disse-lhe: «Pergunta-lhe quais são as provações que são feitas para ela e diz-lhe que, como é impossível entrar no Reino dos Céus sem passar por provações, escolha as que são feitas para ela e, quando estas lhe acontecerem, tenha paciência». Estas palavras do Senhor permitiram-lhe compreender que a forma mais perigosa de paciência é a pessoa imaginar que aceitaria bem ser paciente noutras ocasiões, mas que não pode sê-lo naquelas que Deus lhe envia, quando, pelo contrário, temos de estar seguros de que o mais vantajoso para nós é, precisamente, aquilo que Deus envia e que, se não conseguirmos suportá-lo com paciência, temos de tomar disso ocasião para a humildade.

E o Senhor acrescentou, com ternura amorosa: «E tu, que te parece, no que te diz respeito? Não Me acontece enviar-te provações que não são feitas para ti?». Ela respondeu-Lhe: «De maneira nenhuma, meu Deus, mas confesso e confessarei até ao último suspiro que, tratando-se do corpo ou da alma, da prosperidade ou da adversidade, me governastes com tal perfeição de constância que não seria possível esperá-la da sabedoria de tempo algum, desde o começo do mundo até ao seu termo, senão de Vós, meu Deus, infinitamente terno, única Sabedoria incriada, que se estende de uma extremidade à outra do mundo, regendo todas as coisas com força e ternura» (cf Sb 8, 1).

Santa Gertrudes de Helfta, in O Arauto, Livro III, SC 143

Sem comentários:

Publicar um comentário

«Tudo me é permitido, mas nem tudo é conveniente» (cf. 1Cor 6, 12).
Para esclarecimentos e comentários, queira contactar: info@diesirae.pt