domingo, 3 de maio de 2020

Francisco revoga cânones para promover o Cardeal Tagle



Francisco revogou, a 1 de Maio, os quatro cânones que impediam a incorporação de Luis Antonio Tagle, Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, e do Cardeal Beniamino Stella, de 78 anos, Prefeito da Congregação para o Clero, na ordem episcopal do Colégio dos Cardeais.

Embora a Stella lhe tivesse atribuído a diocese suburbicária de Porto-Santa Rufina, não restavam dioceses vacantes para Tagle. Os dois cânones revogados, ao estabelecerem as ordens nas quais se divide o Colégio dos Cardeais (episcopal, presbiteral e diaconal), indicavam que só podia ser membro da primeira quem tivesse atribuída uma diocese suburbicária ou sufragânea: Óstia (atribuída ao Decano, actualmente o Cardeal Giovanni Battista Re), Albano, Frascati, Palestrina, Porto-Santa Rufina, Sabina-Poggio Mirteto e Velletri-Segni.

Tagle tem atribuída a Igreja de São Félix de Cantalice a Centocelle, uma zona residencial de Roma, que pertencia à ordem presbiteral do Colégio. Agora, sem a necessidade de lhe ser atribuída uma sede suburbicária, foi elevado à ordem episcopal.

A reforma é feita para que possa participar na eleição do Decano do Colégio e optar por ser eleito, direitos que os cânones revogados reservavam aos Cardeais «com o título de uma Igreja suburbicária, e só eles». Em 2018, o Papa já tinha estendido a mais seis purpurados a possibilidade de pertencerem à ordem episcopal e nomeou vários Cardeais que não tinham dioceses suburbicárias atribuídas.

Assim, revogava, de facto, o cânon 350
§ 1. Mas continuava em vigor o 352 § 2 e, consequentemente, nenhum deles poderia participar na eleição do Decano. Agora, porém, ao nomear Tagle, revogou-se de iure todos esses cânones, alargando a eleição a todos, com ou sem sede suburbicária.           

Carlos Esteban 

Sem comentários:

Publicar um comentário

«Tudo me é permitido, mas nem tudo é conveniente» (cf. 1Cor 6, 12).
Para esclarecimentos e comentários, queira contactar: info@diesirae.pt