terça-feira, 19 de maio de 2020

Comentário ao Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem (XX)


Nos números 58 e 59 do Tratado, São Luís continua a fulgurante descrição dos verdadeiros filhos e servos de Maria que a Divina Providência levantará contra os inimigos de Deus nos últimos tempos.    

«Serão verdadeiros apóstolos dos últimos tempos, a quem o Senhor dos exércitos dará a palavra e a força para operar maravilhas e arrebatar gloriosos despojos aos seus inimigos. Dormirão sem ouro nem prata e, o que é mais, sem cuidados, no meio de outros sacerdotes, eclesiásticos e clérigos, inter medios cleros; e, no entanto, terão as asas prateadas da pomba, para irem aonde o Espírito Santo os chamar, com a intenção pura da glória de Deus e da salvação das almas, e, nos lugares onde tiverem pregado, deixarão atrás de si o ouro da caridade, que é o pleno cumprimento da lei».      

Os apóstolos dos últimos tempos, segundo São Luís Maria, serão combatentes a quem o Senhor dará a palavra e a força. Diante do mal não se limitarão a calar e a rezar, mas falarão, pregarão, bradarão contra o mundo, trovejarão contra o pecado. E terão do Senhor a força necessária para operar maravilhas e alcançar gloriosas vitórias sobre os seus inimigos: não serão derrotados, serão perseguidos, mas sairão triunfantes da luta.

«Dormirão sem ouro nem prata e, o que é mais, sem cuidados»; viverão sem intranquilidade, sem preocupações; abandonar-se-ão totalmente à Divina Providência: aqui está uma sua outra característica, que encontramos na Oração abrasada do mesmo santo, quando diz que os apóstolos dos últimos tempos, «pelo seu abandono à Providência e pela sua devoção a Maria Santíssima, terão as asas prateadas da pomba: inter medios cleros, pennae columbae deargentatae, isto é, a pureza da doutrina e dos costumes; e douradas as costas: et posteriora dorsi eius in pallore auri, isto é, uma perfeita caridade para com o próximo, para suportar os seus defeitos, e um grande amor a Jesus Cristo, para levar a sua cruz».   

No número 58, as asas prateadas da pomba também significam que se assemelharão ao Espírito Santo, representado pela tradição católica como uma pomba, e serão movidas por Ele. As asas servem para voar e, diz o santo no número 58, «serão nuvens tonitruantes que voarão pelos ares ao menor sopro do Espírito Santo», irão, não para a sua própria glória, mas «aonde o Espírito santo os chamar com a intenção pura da glória de Deus e da salvação das almas». Homens, define-nos na Oração abrasada, como «nuvens elevadas da terra e repletas de orvalho celeste que, sem obstáculos, voem para todos os lados ao sabor do sopro do Espírito Santo».         

No número 35 do Tratado, São Luís disse que, com o Espírito Santo, Maria produziu a maior realidade do passado e do futuro: um homem-Deus; com o Espírito Santo continuará a produzir e a formar os seus filhos. E, no número 36, acrescentou que, quando o Espírito Santo encontra Maria numa alma, «voa até ela, entre nela plenamente e comunica-se a essa alma abundantemente, na mesma medida em que esta alma dá lugar em si à Sua Esposa».           

Serão, portanto, almas cheias do Espírito Santo porque cheias de Maria. E, com estas palavras, São Luís dirige-se ao Espírito Santo na Oração abrasada: «Divino Espírito Santo, lembrai-Vos de produzir e de formar filhos de Deus com a vossa divina e fiel Esposa, Maria. Formastes, com ela e nela, a cabeça dos predestinados, e é com ela e nela que deveis formar todos os seus membros. Vós não engendrais qualquer pessoa divina dentro da Divindade, mas sois Vós apenas que formais todas as pessoas divinas fora da Divindade, e todos os santos que já existiram e que hão-de existir até ao fim do mundo são outros tantos produtos do vosso amor unido a Maria Santíssima».          

Roberto de Mattei

Sem comentários:

Publicar um comentário

«Tudo me é permitido, mas nem tudo é conveniente» (cf. 1Cor 6, 12).
Para esclarecimentos e comentários, queira contactar: info@diesirae.pt