terça-feira, 2 de julho de 2019

Processo e Martiniano: de carcereiros de São Pedro a Santos



Hoje, dia em que, no calendário tradicional, a Santa Igreja faz memória da Visitação de Nossa Senhora a Santa Isabel, também se celebra os Santos Processo e Martiniano, mártires, que foram os carcereiros de São Pedro. Detido no Carcere Mamertino, onde também esteve São Paulo, o Apóstolo São Pedro foi protagonista de milagres históricos. Quando descia pela estreita escada, que ainda hoje é usada, Pedro foi empurrado pelos algozes e embateu contra um muro, tendo a pedra amolecido e parte do seu rosto ficou impressa, sendo ainda hoje possível venerar o rosto do Apóstolo.     

O ambiente da prisão era abafado, de tal forma que o tecto muito baixo transmite uma sensação de pavor, a que se juntam as grades de ferro que ainda hoje lá se encontram. Foi neste ambiente que São Pedro levou à conversão os carcereiros Processo e Martiniano e outros 47 prisioneiros. Ao tentar baptizá-los, constatou-se que não havia água, sendo que, nesse momento, uma fonte brotou do chão e São Pedro foi libertado por um anjo – as suas correntes podem ser veneradas na Basílica de San Pietro ai Vincoli. Ao lado da fonte, encontra-se um altar que apresenta um interessante pormenor: a Cruz aparece invertida, pois foi assim que Pedro quis morrer por não ser digno de ser crucificado como fora Nosso Senhor. São Processo e São Martiniano acabaram por ser martirizados e os seus corpos encontram-se na Basílica de São Pedro, no Vaticano.

Sem comentários:

Publicar um comentário

«Tudo me é permitido, mas nem tudo é conveniente» (cf. 1Cor 6, 12).
Para esclarecimentos e comentários, queira contactar: info@diesirae.pt