segunda-feira, 24 de junho de 2019

«E tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo...» (Lc 1, 76)



O nascimento deste menino foi, para muitos, causa de alegria e ainda o é nos nossos dias. Dado a seus pais na velhice, ele veio pregar a um mundo envelhecido a graça de um novo nascimento. Por isso, a Igreja festeja solenemente esta natividade, fruto maravilhoso da graça, com o qual a natureza se maravilha.   

Esta lâmpada destinada a iluminar o mundo (Jo 5, 35) traz-me uma alegria nova, porque foi graças a ela que reconheci a verdadeira Luz, que brilha nas trevas mas que as trevas não quiseram receber (Jo 1, 5-9). Sim, o nascimento deste menino traz-me uma alegria indizível pois é uma fonte de enormes bens para o mundo. Ele foi o primeiro a instruir a Igreja, começando a formá-la pela penitência, preparando-a pelo Baptismo e, quando a tinha já preparada, entregando-a a Cristo e unindo-a a Ele (Jo 3, 29). Ensinou-a a viver na sobriedade e, com o exemplo da sua própria morte, deu-lhe forças para morrer com coragem. Desse modo, ele preparou para o Senhor um povo perfeito (Lc 1, 17).             

Beato Guerric de Igny, in Sermão 1 para a festa de São João Baptista

Sem comentários:

Publicar um comentário

«Tudo me é permitido, mas nem tudo é conveniente» (cf. 1Cor 6, 12).
Para esclarecimentos e comentários, queira contactar: info@diesirae.pt