quarta-feira, 15 de maio de 2019

O aborto tardio provoca mais mortes em Nova Iorque que o homicídio



O aborto tardio é mais mortífero que o homicídio na cidade de Nova Iorque. Os engenheiros sociais conseguiram-no. E a situação, como aponta o LifeSiteNews, irá pior. As estatísticas revelam que, em 2015, morreram mais fetos de 21 semanas ou mais de gestação devido a um aborto intencional do que pessoas devido a homicídio na cidade de Nova Iorque. Os dados publicados pelos Centros para o Controlo e a Prevenção de Doenças (CDC), pelo Departamento de Polícia de Nova Iorque e pelo Federal Bureau of Investigation (FBI) revelam que o número de abortos a partir da vigésima primeira semana de gestação foi de 1485, enquanto que o número de homicídios não chegou a 400. Isso, proporcionalmente, significa que, a cada dia, faleceram 4,1 fetos de 21 semanas ou mais na cidade de Nova Iorque.              
Capital do aborto dos Estados Unidos
Embora o número 1485 seja surpreendentemente alto, esses abortos, com 21 ou mais semanas de gestação, representam apenas 2,3% dos 63610 abortos perpetrados na cidade em 2015. 63000 abortos anualmente! Um número inaceitavelmente alto se tivermos em conta que vivem oito milhões de pessoas em Nova Iorque.             

E é provável que esses números só aumentem, uma vez que Nova Iorque aprovou recentemente algumas das leis de aborto mais extremistas do mundo, eliminando o aborto do direito penal e permitindo-o até ao nascimento em alguns casos. A legislação também elimina os bebés da definição de homicídio do estado durante mais de 24 semanas.          

Segundo passo: infanticídio         
Os números são apresentados no contexto de um debate feroz sobre o aborto tardio e o infanticídio nos últimos meses. Trata-se de um tema, nesse sentido, que divide o mapa político americano em dois. Os abortistas são-no febrilmente, roçando a animosidade; e os pró-vida são-no até às últimas consequências, reticentes face a rodeios ou meias-tintas.

O debate foi retomado pelo Presidente Donald Trump, que pediu, no seu discurso sobre o Estado da União, que “o Congresso aprove uma legislação para proibir o aborto tardio de crianças que podem sentir dor no ventre da mãe”.             

[Fonte: InfoVaticana]

Sem comentários:

Publicar um comentário

«Tudo me é permitido, mas nem tudo é conveniente» (cf. 1Cor 6, 12).
Para esclarecimentos e comentários, queira contactar: info@diesirae.pt