Um macabro altar de cabeças cortadas



O novo altar da Basílica de Santa Maria Assunta, em Gallarate, Província de Varese, em Itália, foi feito com 120 esculturas de cabeças cortadas. O autor da assustadora obra é Claudio Parmiggiani, um artista que representa, na sua produção escultural, cabeças cortadas de todo o tipo: partidas, ensanguentadas, empilhadas no pavimento.      

Neste altar estão todos representados. Cristãos e pagãos, santos e pecadores. Esta é a mesa do Senhor que acolhe a todos”, declarou o Arcebispo de Milão, D. Mario Delpini, que, no último Domingo, consagrou o altar. No monte está a cabeça mutilada de Nossa Senhora da Piedade, de Miguel Ângelo, ao lado da do imperador gay Adriano e de outras cabeças copiadas da obra de Bernini, Borromini e Canova com referências à escultura clássica e até às obras contemporâneas. A dessacralização contemporânea, fomentada pela Hierarquia Eclesiástica, já não conhece limites.            

Enviar um comentário

0 Comentários