quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Hungria aboliu em todas as Universidades a disciplina sobre “género”



Finalmente uma boa notícia: a Hungria eliminou definitivamente a disciplina sobre “género” em todas as Universidades do Estado, porque, segundo declarou o Secretário da Educação, Bence Rétvári, representa, «como o marxismo-leninismo, uma ideologia e não uma ciência».

O decreto correspondente, que fará entrar em vigor o decreto do Executivo a partir do próximo ano, foi assinado pelo Primeiro-Ministro Viktor Orbán, na fotografia. Não é, nem teria sido necessário, porque as inscrições na disciplina, para dizer pouco, eram escassas, o que teria justificado o seu cancelamento. Mas o Executivo quis explicar de modo explícito que a decisão não tinha sido tomada por uma questão de números, mas por uma questão de sentido comum, como tinha precisado, no último mês de Agosto, o Chefe de Gabinete, Gergely Gylyas: «O governo húngaro não tem a intenção de gastar dinheiro no ensino neste campo». De facto, já retirou em toda a parte o seu apoio financeiro.        

A disposição corresponde, em geral, a todas as Universidades e, em particular, a duas: a de Eòtvòs LOránd, com sede em Budapeste, e a Universidade Central Europeia de George Soros, a qual, até agora, entregava também diplomas a quem fizesse a dita “disciplina”. Ninguém sentirá falta dela.   

Sem comentários:

Publicar um comentário

«Tudo me é permitido, mas nem tudo é conveniente» (cf. 1Cor 6, 12).
Para esclarecimentos e comentários, queira contactar: info@diesirae.pt