quarta-feira, 15 de abril de 2020

Consagração dos Povos de Língua Portuguesa a Nossa Senhora da Lapa



O Santuário de Nossa Senhora da Lapa, situado no concelho de Sernancelhe, na Diocese de Lamego, promove, hoje, pelas 16h00, a Consagração dos Povos de Língua Portuguesa a Nossa Senhora da Lapa. A transmissão poderá ser acompanhada através da página oficial no Facebook do Santuário ou, em alternativa, na Rádio Alive FM, sintonizando a frequência 89.9 FM, entrando no seu site ou, ainda, na página no Facebook da Rádio. Associemo-nos e divulguemos esta piedosa iniciativa! 
____________________


TEXTO DA CONSAGRAÇÃO FEITA PELO REV. P. JOSÉ ALVES DE AMORIM,
REITOR DO SANTUÁRIO DE NOSSA SENHORA DA LAPA

Se foi por Vós que Jesus Cristo, Senhor Nosso, veio ao mundo, é também por Vós que nele deve reinar!           


Ó Rainha e Senhora da Lapa!                         

Vós que sois a obra-prima e Filha dilectíssima do Altíssimo, a Mãe admirável de Deus Filho, a Esposa fiel do Espírito Santo, santuário e repouso da Santíssima Trindade, escutai a prece ardente que hoje contritos vos dirigimos.     
          

Todos sabemos que a Terra está cheia da vossa glória. Incontáveis são os altares em vossa honra; muitas as nações, dioceses e cidades que Vos tomam por Padroeira; inúmeras as catedrais, basílicas e igrejas consagradas a Deus sob o Vosso santo patrocínio, e sem fim as Ordens, Congregações, Institutos e Confrarias a Vós dedicadas.    

Aqui, neste pequeno recanto de Portugal, ergue-se o mais antigo Santuário a Vós dedicado sob a invocação de Nossa Senhora da Lapa, onde sois venerada há mais de cinco séculos por grandes e pequenos, ricos e pobres, sábios e ignorantes, irmanados todos por uma mesma fé.                 

Sabendo-nos embora réus da excelsa justiça de Deus e quão merecidos são os castigos que sobre o mundo ingrato e impenitente se possam abater, sabendo também como no passado a mão dos Santos Anjos os executou, varrendo à espada a Terra para bem das almas, mas sabendo-nos outrossim Vossos filhos, Vos pedimos, Mãe poderosíssima, nos deis enfim um coração e vida penitentes.                    

Possa o Vosso Imaculado Coração, Mãe Santíssima, apiedar-se dos nossos corações aflitos e inspirar-lhes a penitência que almejamos. Assim, como Reitor deste Santuário, e unido aos outros santuários espalhados pelos países de língua portuguesa, a Vós hoje nos dirigimos para consagrar os nossos povos e Vos pedir que deles afasteis a actual pandemia que varre a Terra. Assim, ó Senhora da Lapa, Vos imploramos:                     

1. Que pela nossa fé e instante súplica, com os raios imperiosos da vossa cândida luz, afasteis, Rainha nossa, dos nossos povos esta tenebrosa pandemia que a todos ameaça;               

2. Que o exemplo das Vossas virtudes destrua os vícios e substitua os nossos pecados;             

3. Que o exemplo da Vossa perfeita humildade tome o lugar da soberba humana;                      

4. Que o incêndio da caridade de Vosso Imaculado Coração apague as nossas debilidades;                  

5. Que os Vossos excelsos méritos, sempre propícios junto do trono do Altíssimo, d’Ele obtenham o fim deste flagelo;             

6. Que sejais a Rainha daqueles que vivem obscurecidos pelo erro, conduzindo-os pelo dogma da Fé e pela tradição da Santa Igreja Católica, única via de salvação, a contemplarem um dia a sede de toda a verdade, Jesus Cristo Nosso Senhor;                

7. Que intercedais junto de Vosso Filho pela liberdade e exaltação da Santa Igreja e obtenhais para todas as nações tranquilidade e ordem, em tudo submetidas, enfim, à beleza e alegria da Fé em Nosso Senhor Jesus Cristo Ressuscitado;   

8. Que tenhais compaixão de todos os que estão a padecer com esta pandemia, dando-lhes conforto no sofrimento e obtendo-lhes a cura, e que intercedais por aqueles que até este momento já partiram, para que, considerada suficiente a sua purificação pelo sofrimento, sejam de imediato admitidos na paz eterna do Senhor, Vós que vos temos por Mãe e advogada junto do trono celestial e do Soberano Juiz;           

9. Que intercedais por todos quantos abnegadamente se têm sacrificado a cuidar dos doentes infectados, alguns até ao sacrifício da própria vida, para que recebam do Senhor justa compensação em abundância de graças temporais e espirituais.                    

10. Que lanceis, enfim, o Vosso manto protector, afastando de nós todas as gravosas penúrias sociais e materiais resultantes da terrível pandemia.       

Ó dulcíssimo Jesus, Redentor do género humano, nós isto Vos pedimos, por intercessão da Senhora da Lapa, a Quem hoje nos consagramos, e que realmente a todos nos deis a eterna salvação. Amém.        

Sem comentários:

Enviar um comentário

«Tudo me é permitido, mas nem tudo é conveniente» (cf. 1Cor 6, 12).
Para esclarecimentos e comentários, queira contactar: info@diesirae.pt