sexta-feira, 12 de julho de 2019

Estão vazios os túmulos do Cemitério Teutónico



Ontem, no Vaticano, foram abertos dois túmulos do Cemitério Teutónico em busca da desaparecida Emanuela Orlandi e não foram encontrados restos humanos no seu interior. A abertura foi feita a pedido da família de Emanuela Orlandi, a famosa jovem desaparecida, em 1983, em estranhas circunstâncias. A 2 de Julho, a Assessoria de Imprensa da Santa Sé comunicava a decisão do Gabinete do Promotor de Justiça do Tribunal do Estado da Cidade do Vaticano, que ordenou, através de um decreto «a abertura de dois túmulos presentes no cemitério Teutónico».           

A decisão foi tomada depois de uma denúncia da família de Emanuela Orlandi sobre a possível ocultação do cadáver no pequeno cemitério localizado dentro do território do Estado do Vaticano. Na manhã de ontem foi aberto o chamado “Túmulo do Anjo”, no qual está sepultada a Princesa Sophia von Hohenlohe, que morreu em 1836, e a adjacente onde está sepultada a Princesa Carlota Federica de Mecklemburgo-Schwerin, falecida em 1840. Nem os restos da menina desaparecida nem os das princesas mencionadas foram encontrados depois da abertura. O mistério continua.           

Fernando Beltrán

1 comentário:

  1. O Padre Gabriele Amorth, em seu livro O Último Exorcista, suspeita que Emanuela foi sequestrada por uma seita satânica presente no Vaticano para realização de rituais diabólicos.
    Ele não afirma que seja isto mesmo, mas infere que haja possibilidades.

    Pax et bonum!

    ResponderEliminar

«Tudo me é permitido, mas nem tudo é conveniente» (cf. 1Cor 6, 12).
Para esclarecimentos e comentários, queira contactar: info@diesirae.pt