sexta-feira, 21 de junho de 2019

O Cardeal Bagnasco proíbe actos de reparação pelo “orgulho gay”



O Cardeal Angelo Bagnasco, Arcebispo de Génova, ordenou o cancelamento de três actos de reparação pelo desfile do orgulho gay em Paróquias da sua Diocese, enquanto permite que se realizem jornadas de oração contra a homofobia.

Não é “apropriado”. Essa foi a razão dada pelo Cardeal Bagnasco para impedir que três Paróquias da sua Arquidiocese realizassem os actos de reparação previstos pelas ofensas contra Deus cometidas durante as celebrações do orgulho gay.          

Os actos de reparação consistiam na oração do Santo Rosário e na Adoração Eucarística convocadas para as Igrejas de Santa Marta, de São Pio X e de Santo Estêvão, mas que as Paróquias tiveram que suspender depois de terem recebido uma carta da Arquidiocese pedindo-lhes que cancelassem esses actos de piedade.         

Segundo noticia a La Nuova Bussola Quotidiana, a comunicação também chegou através do Bispo Auxiliar, Mons. Nicolò Anselmi, que comunicou por telefone às Paróquias em questão que o Cardeal considerava “inapropriadas” estas iniciativas.    

Tanto a Nuova Bussola como o americano National Catholic Register tentaram contactar Bagnasco e Anselmi para conhecerem as razões deste veto, mas nenhum deles quis fazer quaisquer declarações a respeito do assunto.      

É surpreendente que a Arquidiocese se preocupe em proibir actos de reparação por ofensas à fé e à moral católicas, que podem ser vistas no decorrer da celebração do orgulho, quando permite, pelo menos desde 2017, que se celebrem, em igrejas como a de San Pietro in Banchi, “vigílias contra a homofobia”. Essa mesma Paróquia, no passado dia 12 de Maio, celebrou uma jornada ecuménica de oração, com a aprovação da Arquidiocese, contra a discriminação de homossexuais e transexuais, organizada por um grupo LGBT.                    

No momento em que se debate a penetração do lobby lavanda nas fileiras da Igreja, em que explodem escândalos de abusos sexuais por parte de clérigos homossexuais e que ainda dura a ressaca do livro-denúncia de Frédéric Martel, No Armário do Vaticano, o estranho critério de uma figura como Bagnasco, que foi Presidente da Conferência Episcopal Italiana, é extraordinariamente significativo.          

Carlos Esteban 

1 comentário:

  1. Esses Bispos estão trabalhando para Satanás, e não para O SENHOR JESUS.


    Nossa Senhora do Bom Sucesso, roga por nós, míseros pecadores!

    ResponderEliminar

«Tudo me é permitido, mas nem tudo é conveniente» (cf. 1Cor 6, 12).
Para esclarecimentos e comentários, queira contactar: info@diesirae.pt