terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Em silêncio na praça para derrubar o silêncio dos Bispos








Conforme foi anunciado, hoje, na Praça de S. Silvestre, no coração de Roma, cem pessoas provenientes de todo o mundo estiveram na praça, em oração e em silêncio, para pedir que seja derrubado o muro do silêncio de muitos pastores sobre a crise moral e doutrinária da Igreja. Disponibilizamos algumas imagens da manifestação, a que se seguiu uma conferência de imprensa na sede da Stampa Estera, com a participação de personalidades católicas de Itália (Roberto de Mattei, Presidente da Fondazione Lepanto), de França (Jean-Pierre Maugendre, Presidente de Renaissance Catholique), dos Estados Unidos (Michael Matt, Director da Revista Remnant), do Canadá (Scott Schittl, representante do portal LifeSiteNews), da Polónia (Arkadiusz Stelmach, Vice-Presidente do Instituto Piotr Skarga), da Grã-Bretanha (John Smeaton, Presidente da Society for the Protection of Unborn Child) e do Peru (Julio Loredo, Sócio-Fundador de Tradición y Acción por un Perú Mayor). Nos quatro cantos da praça estavam imagens dos quatro Evangelistas.            

Aos transeuntes foi distribuído um panfleto, cujo texto é o seguinte:  

Em silêncio para derrubar o muro do silêncio!  

Somos leigos católicos, provenientes de toda a Itália e de todo o mundo. Participamos nesta manifestação a título pessoal, ou em nome de associações e revistas jornalísticas unidas pelo amor pela Igreja, a sua doutrina e as suas instituições. Estamos reunidos neste evento sob o nome de Acies ordinata, um nome que a tradição da Igreja reserva a Maria Santíssima, que reúne o exército dos seus fiéis e derrota os seus inimigos: terribilis ut castrorum acies ordinata (Cântico dos Cânticos, 6, 3; 6, 9). Filhos da Igreja militante, estamos aqui para professar publicamente a nossa fé católica, mas também para derrubar o muro do silêncio. O silêncio sepulcral dos Pastores da Igreja diante de uma crise doutrinária e moral sem precedentes.        

A Igreja de San Silvestro in Capite (Basílica de São Silvestre Primeiro), nesta praça, contém a relíquia da cabeça de São João Baptista. O precursor do Messias foi reduzido ao silêncio por Herodes, mas a sua linguagem silenciosa continua a falar aos nossos corações. Estamos em pé, de maneira respeitosa e ordenada, para exprimir simbolicamente a resistência de quem, diante do silêncio, não se curva. Temos nas mãos o Santo Rosário e lemos textos da Tradição católica, porque alimentamos a nossa resistência pela oração e pelo estudo, convictos de que só no recolhimento se prepara a acção.        

A cúpula dos presidentes das Conferências Episcopais, que se abrirá no dia 21 de Fevereiro na presença do Santo Padre, é uma ocasião histórica para afrontar não só o tema dos abusos sexuais de menores, mas o tema da corrupção moral, que inclui cada violação da lei divina e natural, a começar pela terrível praga da homossexualidade.       

O nosso é um apelo aos Bispos silenciosos para que algum entre eles tenha a coragem de romper o silêncio. Haverá algum pastor que ousará dizer a verdade ao Santo Padre? A Igreja não teme a Verdade, porque a Igreja anuncia ao mundo a Verdade do Seu Chefe e Fundador, Jesus Cristo. É sobretudo a Ele que nos dirigimos com este acto simbólico, a fim de que, nestes tempos calamitosos, venha em auxílio da nossa debilidade e, com uma só Palavra, salve a Sua Igreja.

Domine ne sileas (Ps 34, 22) Senhor, não fiques calado!            

[Tradução de Dies Iræ. Fonte: Marco Tosatti]

Sem comentários:

Publicar um comentário

«Tudo me é permitido, mas nem tudo é conveniente» (cf. 1Cor 6, 12).
Para esclarecimentos e comentários, queira contactar: info@diesirae.pt