quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

Carta aberta dos Cardeais Brandmüller e Burke



Estimados Irmãos, Presidentes das Conferências Episcopais,   

Dirigimo-nos a vós com profunda angústia! O mundo católico está à deriva e, com angústia, surge a questão: para onde vai a Igreja?          

Diante da deriva, parece que a dificuldade se reduz à do abuso de menores, um crime horrível, especialmente quando é perpetrado por um sacerdote, que é, no entanto, só uma parte de uma crise muito maior. A praga da agenda homossexual difundiu-se dentro da Igreja, promovida por redes organizadas e protegida por um clima de cumplicidade e uma conspiração de silêncio. As raízes deste fenómeno encontram-se claramente nessa atmosfera de materialismo, relativismo e hedonismo, na qual se questiona abertamente a existência de uma lei moral absoluta, ou seja, sem excepções.   

O abuso sexual é atribuído ao clericalismo. Mas a primeira e principal culpa do clero não se baseia no abuso de poder, mas em ter-se afastado da verdade do Evangelho. A negação, inclusive pública, por palavras e actos, da lei divina e natural, está na raiz do mal que corrompe certos círculos na Igreja. Diante desta situação, os cardeais e os bispos guardam silêncio. Também ficarão em silêncio por ocasião da reunião convocada, no Vaticano, para o próximo dia 21 de Fevereiro?           

Estamos entre os que, em 2016, apresentaram ao Santo Padre algumas perguntas, dubia, que dividiam a Igreja como resultado das conclusões do Sínodo sobre a Família. Hoje em dia, esses dubia não só não tiveram nenhuma resposta, mas são parte de uma crise da Fé mais geral. Por isso, encorajamos-vos a que levanteis as vossas vozes para salvaguardar e proclamar a integridade da doutrina da Igreja.          

Peçamos ao Espírito Santo para que possa ajudar a Igreja e trazer luz aos pastores que a guiam. Um acto resolutório agora é urgente e necessário. Confiamos no Senhor que prometeu: «E sabei que Eu estarei sempre convosco até ao fim dos tempos» (Mt 28, 20).        

Walter Cardeal Brandmüller

Raymond Leo Cardeal Burke

Sem comentários:

Publicar um comentário

«Tudo me é permitido, mas nem tudo é conveniente» (cf. 1Cor 6, 12).
Para esclarecimentos e comentários, queira contactar: info@diesirae.pt