quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Sobre como escolher bons amigos


Há três espécies de companheiros: os bons, os maus e os que não são totalmente maus, mas nem são bons. Com os primeiros podeis entreter-vos e tirareis proveitos; com os últimos, tratai quando houver necessidade, sem contrair nenhuma familiaridade. Quanto aos maus, esses devemos absolutamente evitar. Mas quais são esses maus companheiros? Prestai atenção e ficareis a saber quem são.   

Todos os jovens que na vossa presença não se envergonham de ter conversas obscenas, de dizer palavras equívocas ou escandalosas, murmurações, mentiras, juramentos vãos, imprecações, blasfémias, ou, então, procuram afastar-vos das coisas da Igreja, os que vos aconselham a roubar, a desobedecer aos vossos pais ou a transgredir algum dever vosso, todos esses são maus companheiros, ministros de satanás, dos quais deveis fugir mais do que da peste e do diabo em pessoa.         

Ah, meus caros, com as lágrimas nos olhos suplico-vos que eviteis e aborreçais tais companhias. Ouvi o que diz Nosso Senhor: quem andar com o virtuoso será também virtuoso. O amigo dos estultos tornar-se-á semelhante a ele. Foge do mau companheiro como da mordedura de uma cobra venenosa: quasi a fácie cólubri (Ecl 21, 22).           

Em suma, se andardes com os bons, garanto-vos que ireis com os bons ao Paraíso. Pelo contrário, frequentando companheiros perversos, perverter-vos-eis também vós, com o perigo de perderdes irremediavelmente a vossa alma. Dirá alguém: são tantos os meus companheiros, que seria preciso sair deste mundo para evitá-los todos. Bem sei que são muitos numerosos os maus companheiros e é por isso mesmo que vos recomendo com empenho que fujais deles.            

E se, para não tratar com eles, fosseis obrigados a ficar sozinhos, felizes de vós, porque teríeis na vossa companhia Jesus Cristo, a bem-aventurada Virgem e o vosso Anjo da Guarda. Poderemos encontrar companheiros melhores do que esses?   

Contudo, pode-se também ter bons companheiros e serão os que frequentam os Santíssimos Sacramentos da Confissão e da Comunhão, os que frequentam a igreja, os que com as palavras e com o exemplo vos incitam ao cumprimento dos vossos deveres e vos afastam da ofensa de Deus. A estes deveis frequentar e tirareis muito proveito. Desde que David, quando jovem, começou a frequentar um bom companheiro chamado Jónatas, tornaram-se ambos bons amigos com proveito recíproco, porque um animava ao outro na prática da virtude.            

S. João Bosco, in O jovem instruído na prática dos seus deveres religiosos

Sem comentários:

Publicar um comentário

«Tudo me é permitido, mas nem tudo é conveniente» (cf. 1Cor 6, 12).
Para esclarecimentos e comentários, queira contactar: info@diesirae.pt