terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Relatos sobre as Comunhões de Catarina de Sena



Várias pessoas, dignas de crédito, asseguraram-me que, quando assistiam a Missas em que Catarina recebia a Santa Comunhão, viam manifestamente a hóstia consagrada escapar das mãos do sacerdote e a voar para a sua boca. Diziam-me que esse prodígio acontecia até mesmo quando eu lhe dava a hóstia consagrada. Devo confessar que nunca percebi isso muito claramente, só notava um certo tremor na hóstia quando a apresentava aos seus lábios. Então, a hóstia entrava na sua boca como uma pedrinha lançada de longe com força. Outro frade também me disse que, quando dava a Catarina a Sagrada Comunhão, sentia a hóstia consagrada a fugir, não obstante os seus esforços para segurá-la.    

Beato Raimundo de Cápua, confessor de Santa Catarina de Sena

Sem comentários:

Publicar um comentário

«Tudo me é permitido, mas nem tudo é conveniente» (cf. 1Cor 6, 12).
Para esclarecimentos e comentários, queira contactar: info@diesirae.pt