domingo, 9 de dezembro de 2018

Segundo Domingo do Advento – Estação em Santa Cruz de Jerusalém



Ciclo da Encarnação – Tempo do Advento

Estação (do latim Státio, lugar de reunião, assembleia) era a Igreja de Roma onde se congregavam o Papa, o Clero e os fiéis, em dia previamente designado, para a celebração da Missa Solene. Estas Estações tiveram início em fins do século II. Até meados do século III a concentração era feita com certa reserva, atendendo às perseguições. Depois da paz constantiniana o Cerimonial tornou-se mais solene. Reuniam-se em determinada igreja, onde era cantada a Colecta, dirigindo-se para o lugar da Estação em Procissão, ao som das preces litânicas, recitadas pelo Clero e fiéis. No lugar da Estação era celebrada a Missa própria do dia, durante a qual se fazia a Homilia. No século V estas cerimónias haviam assumido grande relevo. Presentemente tais Missas estacionais são ainda celebradas nos lugares indicados no Missal, embora sem o esplendor dos primeiros séculos, nos seguintes dias: Domingos do Advento e Férias das Têmporas deste Tempo, Vigília e Dia do Natal, Circuncisão, Epifania, Septuagésima, Sexagésima, Quinquagésima, Domingos e Férias da Quaresma, Domingo da Páscoa e seu Oitavário, Dias das Rogações e da Ascensão, Vigília e Festa de Pentecostes, assim como o seu Oitavário. A indicação destas Estações já figurava nos Sacramentários e noutros livros usados na celebração da Missa no século VII e foi incluída nos primeiros Missais editados.              

Mons. João Chrysóstomo de Freitas Barros (1951)

___________________________

Povo de Sião, eis que o Senhor vem para salvar os povos: o Senhor fará ouvir a sua gloriosa voz, e o vosso coração encher-se-á de alegria.
Ouvi, ó vós, que governais Israel; ó vós, que conduzis José, como um pastor conduz uma ovelha. Glória ao Pai, e ao Filho, e ao Espírito Santo. Como era no princípio, e agora, e sempre, e por todos os séculos dos séculos. Ámen.

Sem comentários:

Publicar um comentário

«Tudo me é permitido, mas nem tudo é conveniente» (cf. 1Cor 6, 12).
Para esclarecimentos e comentários, queira contactar: info@diesirae.pt