quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

As freiras que estão a fazer adoração contínua desde 1878



A adoração perpétua é um compromisso espiritual assumido desde 1 de Agosto de 1878 pelas Irmãs Franciscanas da Adoração Perpétua (Franciscan Sisters of Perpetual Adoration), que, desde então, vêm mantendo, pelo menos, duas pessoas, dia e noite, em oração diante do Santíssimo Sacramento, na cidade norte-americana de La Crosse, estado de Wisconsin. Segundo o seu próprio site, a congregação está a rezar ininterruptamente há mais tempo que qualquer outro grupo nos Estados Unidos.                 

Tudo começou quando a Madre Antonia Herb, superiora da congregação que então se chamava Irmãs de São Francisco, solicitou ao bispo local a permissão para iniciar a adoração perpétua. Prudente, o bispo negou a autorização num primeiro momento, consciente de que tal propósito é um compromisso altamente exigente.     

Decididas, porém, a estabelecer a adoração perpétua, as irmãs começaram a orar durante duas horas, duas freiras de cada vez, para demonstrar que conseguiriam manter o compromisso de modo ininterrupto. A 1 de Agosto de 1878, às 11h da manhã, puderam finalmente dar início à adoração ao longo do dia inteiro. Pouco tempo depois, mudaram o nome da congregação para o actual: Irmãs Franciscanas da Adoração Perpétua.              

Nunca mais deixaram o Santíssimo sozinho na sua capela. A 2 de Outubro de 2018, data deste artigo publicado pela Aleteia Brasil, estão a fazer adoração há 51.197 dias sem parar. Ao longo dos últimos anos, cerca de 175 grupos de oração juntaram-se à vigília perpétua como parceiros das religiosas.     

A adoração perpétua  
Além de prestar a Deus o culto de latria que Lhe cabe por ser Deus, a adoração perpétua é também uma forma de testemunhar ao mundo a consciência da presença de Deus na nossa vida e, com isso, de manter a perene vigilância espiritual em favor da comunidade local e do mundo inteiro: “Orai e vigiai.                  

Por meio da adoração eucarística perpétua, as religiosas oferecem a Deus o seu contínuo louvor e acção de graças diante do Santíssimo Sacramento solenemente exposto no altar, além de intercederem perante Ele pelas pessoas, em especial por aquelas que lhes enviam os seus pedidos de oração. Nutridas e fortalecidas pela presença de Jesus, procuram prolongar essa adoração também na vida diária, esforçando-se em especial para ajudar os necessitados.                       

[Fonte: Aleteia]

Sem comentários:

Publicar um comentário

«Tudo me é permitido, mas nem tudo é conveniente» (cf. 1Cor 6, 12).
Para esclarecimentos e comentários, queira contactar: info@diesirae.pt