sábado, 8 de dezembro de 2018

A pequena Lourdes


Durante uma viagem a Lourdes, em França, em 1930, um pobre trabalhador ferroviário da Lorena, Georges Simonin, recebeu a incumbência de construir uma reprodução das basílicas de Lourdes, numa escala de 1/20. Trabalho colossal que exigiria o uso de duas toneladas de gesso. A maquete seria de uns seis metros de altura.                   
Em 1947, o seu trabalho estava bem adiantando, mas perdeu a esposa e ficou doente. Terríveis dores de estômago impediram-no de continuar a obra. Georges passou a realizar, então, missão mais leve, esculpindo uma estátua de Nossa Senhora de Boulogne para a sua paróquia de Villiers-sur-Marne, em França. Durante a instalação da escultura, na igreja, um grande calor percorre o seu corpo e o sofrimento desaparece: Georges ficou curado. Sob a influência da emoção, Georges não contou nada a ninguém e foi para Lourdes. 

Estando lá, uma noite, despertou, sobressaltado, pois sonhara que estava a construir uma maquete da cidade, na época de Bernadete. Georges reuniu, então, toda a documentação e, em 1952, o Castelo de Lourdes ─ peça central, que necessitava de vinte e cinco toneladas de rochas e de outros materiais ─, foi erguido no centro da vila de Villiers-sur-Marne. A igreja paroquial, os edifícios públicos, os oito moinhos foram erguidos e, em 1954, a Petit Lourdes nasceu. Infelizmente, durante as terríveis inundações de 2013, muitas áreas da cidade foram alagadas. Todo o sítio da Petit Lourdes foi coberto e devastado pelas águas e lama das chuvas torrenciais. No entanto, quando estas se retiraram, descobriu-se que a gruta, com os seus pequenos elementos, muletas suspensas e bancos de oração, estava absolutamente intacta!                       

A basílica feita de gesso nada sofreu, para espanto dos arquitectos, apesar de ter estado submersa por 34 horas. A estátua de Bernadete, ajoelhada diante de Maria, não havia sofrido nenhum deslocamento e nenhuma sujidade. Sim, realmente, a Petit Lourdes é uma obra protegida e, melhor dizendo, desejada pela Virgem Maria.         

Philippe Louvet       

Sem comentários:

Publicar um comentário

«Tudo me é permitido, mas nem tudo é conveniente» (cf. 1Cor 6, 12).
Para esclarecimentos e comentários, queira contactar: info@diesirae.pt